Tags

, , , ,

Museu d’Història de Catalunya
Cidade: Barcelona, Espanha (Catalunha)
Local: Plaça de Pau Vila, Barceloneta
Tema: História Política e Sociedade Catalã
Site: http://www.mhcat.cat/
Exposição Permanente: La memòria d’un país
Wiki: Catalunya
Preço: Preço Normal: 4,5 €

⭐ Importância Histórica e Conteúdo
⭐ Arquitetura e Ambiente Interno
⭐ Sala de Exibição e Iluminação
⭐ Qualidade da Coleção dos Itens
⭐ Exibição e Exposição
⭐ Tecnologia, Interação, Video (Hi-Tec) e Free wi-fi
⭐ Descrição e Display (Catalão + Espanhol + Inglês)
⭐ Fotografias e/ou Ilustração Explicativas
⭐ Recepção e Areas Públicas
⭐ Localização, Preço e Acesso

Em Barcelona uma das visitas mais aguardadas do #MuseumsOnThe Road foi ao Museu d’Història de Catalunya. Esse é um museu Nacional e Sagrado historicamente como um fiel depositário da memória viva Catalã.

Nesse local, em um belíssimo armazém, com vista para uma marina na região de Barcelonetapois trata-se de um bairro marinheiro cheio de magia e história que está localizado no distrito de Port Vell – encontramos o Museu rodeado de bares e simpáticos cafés.

Iniciamos o tour num salão com painéis sobre aspectos da geografia da região, seguindo o roteiro ingressamos nas fases pré-históricas, características das primeiras colônias e assentamentos por diversas áreas da Catalunia, utensílios, ferramentas, maquinário, vestimentas, etc.

Como muitas vilas na Europa mediterânea, segundo registros da arqueologia, Barcelona foi uma colônia fundada por gregos, influência que com o tempo foi substituída pelos Cartagineses e, ao final das Guerras Púnicas, transferida para as “mãos” dos Romanos.

Como conta a história o Império Romano desmorona, surgem os Visigodos e logo adiante, na conhecida idade média, praticamente toda região da península Ibérica, fica sob o domínio do Islã – Al Andaluz, sede do Califado de Córdoba. Na Espanha atual há a provincia de Andaluzia, logo ao sul – uma herança desse Califado na Ibéria.

O museu retrata esse período de forma viva, temos a cidade de Tortosa (ou turtuxa), ao sul da Catalunia, que era um dos principais portos de comércio da administração mulçumana, um rico entreposto que impulsionava a economia na época. Com a expulsão dos Mulçumanos da península inicia-se o “drama” Catalão … Castella começa a aglutinar os demais reinos, principados e provincias em torno do que viria a ser o Império Espanhol; Apesar da união pessoal em 1469 das coroas de Castela e Aragão, pelo casamento dos Reis Católicos, a Coroa de Castela continuou a existir como uma entidade separada e assim começa a impor seu poder e força sobre as demais províncias.

Vários momentos de conflitos se sucedem para a obtenção de independência ou maior autonomia da Catalunia em relação a Madri, entre esses movimentos os que estão retratados no museu :: A Guerra de Sucessão Espanhola (1701 – 1713/1715) e A ditadura do General Franco (Espanha Franquista | 1936 – 1975).

Mais adiante em um futuro post em #MuseumsOnTheRoad iremos falar especificamente sobre Guerra de Sucessão Espanhola — aguardem !!!

Para finalizar a visita… ao final, podemos interagir com áreas que exibem uma Catalunia mais moderna, como os modos dos processos de industrialização, a importância do porto de Barcelona, aspectos migratórios, questões da política atual, etc.

Para quem gosta de história este é um fabuloso Museu, e, sem dúvida, podemos entender após o Tour o porquê do movimento nacionalista Independente Catalão.

Un curt adéu i fins a la propera publicació, vlw vlw e como de costume fotos do MHCAT abaixo !!! 🇪🇸

Ibéria sob Domínio da República de Cartago

Lápide do Estaleiro em Tortosa
“Em nome de Deus misericordioso, ele ordenou a criação desta casa para a construção de equipamentos e navios Abdullab Addelrahmann o príncipe dos crentes [Abd-ar-Rahman III] que Deus ajuda. Sua construção foi concluída sob a direção de seu capitão e escravo Abdelrahman Bin Mohammad, com a ajuda de Deus e para sua glória.” No ano 333 da charneira [944-945 dC]. Isto foi escrito por Abdullah Bin Kulaib.

A lenda mais conhecida sobre a origem das quatro barras – Segundo esta lenda, Luís I “o Piedoso”, filho de Carlos Magno, banhava os dedos em sangue e passava-os pelo escudo de ouro de Vilfredo I Conde de Barcelona

Não se sabe exatamente qual é a origem do brasão de armas da Catalunha. Os Condes de Barcelona usam, desde o final do século 11 – Els pals de gules damunt un camper d’or – Desde o reinado de Jaime I, o número de listras fora definido em quatro. O brasão das contagens de Barcelona torna-se comum em todos os territórios da Coroa de Aragón.

União entre o Reino de Aragão e o Principado da Catalunia

Império Espanhol na Europa

Guerra de Sucessão Espanhola (1701 – 1713/1715)

Industrialização Séc XIX

Fluxo Migratório

Guerras Mundiais

Localização do MHCAT em Barcelona