Mausoléu do Panthéon #Paris, França

Mausoléu do Panthéon
Cidade: Paris, França
Local: Praça do Panthéon  | no 5.º arrondissement de Paris, em pleno Quartier Latin | Próximo ao Jardim de Luxembourg
Tema: Mausoléu e História
Site: http://www.paris-pantheon.fr/
Preço: Preço Normal: 09 €

⭐ Importância Histórica e Conteúdo
⭐ Arquitetura e Ambiente Interno
⭐ Sala de Exibição e Iluminação
⭐ Qualidade da Coleção dos Itens
⭐ Exibição e Exposição das Peças
⭐ Tecnologia, Interação, Video (Hi-Tec) e Free wi-fi
⭐ Descrição e Display (Francês + Inglês)
⭐ Fotografias e/ou Ilustração Explicativas
⭐ Recepção e Áreas Públicas
⭐ Localização, Preço e Acesso

Falar do Panthéon em Paris é reviver um amor espiritual. Explico, neste monumento/mausoléu está depositado os principais pensadores e escritores da história literária francesa e mundial,e também dois ícones do iluminismo. #MuseumsOnTheRoad esteve em visita por duas oportunidades, a primeira em 2013, e, a outra, em 2017 (com minha família). Estamos falando do Magnífico Edifício que foi iniciado em 1764 por Luis XIV.  Inspirado no Pantheon de Agripa em Roma; E que, após a Revolução Francesa, em 1789, tornou-se Monumento Nacional.  Neste local repousa as brilhantes mentes francesas que fizeram história com suas obras.  No interior o edifício, em forma de cruz grega, é coroado por uma cúpula de 83 metros de altura. O interior é decorado por diversas pinturas remetendo a períodos da história e cultura nacional francesa.

A “Vanguarda” Iluminada, onde o principal centro das Luzes foi a cidade de Paris, na França, o que não significa que as Luzes não tenham se espalhado por toda o mundo. O que importa assinalar, de qualquer maneira, é a nova atitude do homem frente ao universo. Deixava de ser visto como uma manifestação de uma transcendência e se convertia em um campo de exploração, a ser submetido livremente a capacidade de julgar, comparar, pensar, avaliar, juntar ou separar. Momento em que os indivíduos, começavam a se tonar cada vez mais conscientes.

O pêndulo de Foucault. Instalado em 1851, desmontado e reinstalado em 1995, comprova a rotação da Terra.
Antoine de Saint-Exupéry

O Panthéon é um edifício de 110 m de comprimento e 84 m de largura. A fachada principal é decorada com um pórtico de colunas coríntias, encimado por um frontão triangular feito pelo escultor francês David d’Angers. Este frontão representa a Pátria (centro) dando Liberdade e protegendo em seu direito as Ciências – representadas pelos grandes cientistas, filósofos, escritores e artistas e à sua esquerda a História – representada pelos grandes personagens do Estado. A cripta do Panthéon cobre toda a superfície do edifício. De fato, consiste em quatro galerias, cada uma sob cada braço da nave. Nela estão repousando diversas das principais personalidades da historiografia literária francesa.  Em um passeio pelas galerias podemos encontrar uma sala onde repousa os ilustres escritores, segue abaixo suas principais obras.
1. Victor Hugo – Obras: O Corcunda de Notre Dame | Os Miseráveis
2. Alexandre Dumas – Obras: O Conde de Monte Cristo | Os Três Mosqueteiros
3. Émile Zola – Obras: O Romance Experimental | Germinal

Para o #MuseumsOnTheRoad, e acreditamos que para a maioria dos visitantes, as cryptas mais significativas são os dos Filósofos Iluministas – Voltaire e Rousseau.
VOLTAIRE ” O Príncipe das Luzes”
François-Marie Arouet, mais conhecido pelo pseudônimo Voltaire (Paris, 21 de novembro de 1694 — Paris, 30 de maio de 1778), foi um escritor, ensaísta, deísta e filósofo iluminista francês. *wiki
Principais Obras que considero: Édipo (1718) | Cartas Filosóficas (1733) | Tratado Sobre a Tolerância (1763)
Áreas: História, Filosofia e Política.
Polemista vigoroso, crítico mordaz da Religião e da Monarquia, Voltaire não é propriamente um teórico. Toda a sua paixão está voltada para a Razão e para o seu livre exercício. Do ponto de vista político, Voltaire é um reformista moderado e pragmático. A Liberdade e a propriedade privada, uma sustentando a outra, são os dois pilares de sua política.  Contribuiu significativamente para a história como ciência. Suas concepções a respeito da investigação histórica são até hoje o ponto de partida para qualquer ciência histórica. No que diz respeito á concepção do evoluir histórico, Voltaire tem um ponto de vista “Evolucionista”.
Referência: O Iluminismo e os Reis Filósofos, Ed. Brasiliense – Luiz R. Salinas Fortes

Rousseau

Rousseau “O Camaleão das Luzes”
Jean-Jacques Rousseau, também conhecido como J.J. Rousseau ou simplesmente Rousseau (Genebra, 28 de Junho de 1712 — Ermenonville, 2 de Julho de 1778), foi um importante filósofo, teórico político, escritor e compositor autodidata suíço. É considerado um dos principais filósofos do iluminismo e um precursor do romantismo. *wiki
Particularmente, minha personalidade iluminista favorita.
Principais Obras que considero: Discurso Sobre a Origem e os Fundamentos da Desigualdade Entre os Homens (1754) | O Emílio, ou Da Educação (1762) | Du Contrato Social (1762)
Áreas: Educação, Sociologia e Política.
Na obra “Discurso Sobre a Origem e os Fundamentos da Desigualdade Entre os Homens“, ativa o espirito do Socialismo moderno. Rousseau questiona, como é esse negócio de “Ricos” e “Pobres”? esta “desigualdade”, para Rousseau, não é “natural”, não decorre da natureza. Ela decorre da história dos homens e das relações múltiplas que eles se estabelecem e que provocaram, uma porção de males tais: a miséria e a opulência, o poder de um lado e, de outro, os pobres desventurados; os governantes, de um lado, e, de outro, os pobres governados. Tudo isso, dizia Rousseau, que vemos hoje em nossa frente, essas diferenças todas entres nobres, burgueses, camponeses, etc., não são nada naturais e precisam acabar.

Com as análises de seus pensamentos e idéias, Rousseau se lança em um projeto mais ousado, o da formação do cidadão. É em sua obra “O Emilio, ou Da Educação”,  que Rousseau idealiza um método para a construção de um novo indivíduo.

Na sequência edita um “pacto social”, para este novo homem, onde o autor faz uma proposição na abertura: L’homme est né libre, et partout il est dans les fers. Tel se croit le maître des autres, qui ne laisse pas d’être plus esclave qu’eux. [— Comment ce changement s’est-il fait ? Je l’ignore. Qu’est-ce qui peut le rendre légitime ? Je crois pouvoir résoudre cette question —].

O homem nasce livre, e em toda parte é posto a ferros. Quem se julga o senhor dos outros não deixa de ser tão escravo quanto eles.  [— Como essa mudança foi feita? Eu não sei. O que pode legitimar? Eu acho que posso resolver essa questão —].

É com esse propósito que o filósofo-social e político expõe suas preocupações, o Livro “O Contrato Social“, é a marca registrada de Rousseau e foi absorvido pelos revolucionários franceses ante a Revolução de 1789, aferindo ao personagem o status de Herói. É por essa razão que seu corpo e sua alma repousa no Panthéon em Paris.
Referência: O Iluminismo e os Reis Filósofos, Ed. Brasiliense – Luiz R. Salinas Fortes e adaptação própria.

Estátua da Liberdade Original | Esticadinha até o Jardim de Luxembourg | 2017
2013 – Liberté, Égalité et Fraternité

Obrigado, Valew Valew !!! deixo uma máxima de Jean-Jacques Rousseau — O homem nasceu livre e por toda a parte vive acorrentado — .
Localização do Panthéon em Paris

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.