Museu Maçônico da UGLE #Londres, Reino Unido

Museu Maçônico da UGLE
Cidade: Londres, Inglaterra
Local: Freemasons’ Hall, 60 Great Queen St, London, Reino Unido | Próximo ao Museu Britânico
Underground: Holborn Station
Tema: Coleção histórica e objetos Maçônicos
Links: https://www.ugle.org.uk/library-museum
Preço: FREE

⭐ Importância Histórica e Conteúdo
⭐ Arquitetura e Ambiente Interno
⭐ Sala de Exibição e Iluminação
⭐ Qualidade da Coleção dos Itens
⭐ Exibição e Exposição
⭐ Tecnologia e Interação
⭐ Descrição e Display (Inglês)
⭐ Fotografias e/ou Ilustração Explicativas
⭐ Recepção e Areas Públicas
⭐ Localização, Preço e Acesso

United Grand Lodge of England ou simplesmente Grande Loja Unida da Inglaterra é uma das maiores e principais potências maçônicas do mundo. A visita ao Freemasons’ Hall, edifício construído em 1776 para abrigar a nova administração da maçonaria no Reino Unido, foi mais do que um episódio para compor um novo museu ao blog, foi poder reviver uma parte importante da minha vida obreira e laboriosa na ordem.

A UGLE é a principal referência da Maçonaria Mundial, divide esse espaço com o Grande Oriente da França (GODF), e faz tratados com diversas potências pelo globo; no Brasil há uma lista de Grandes Lojas Estaduais no roll de reconhecimento e mútua fraternidade. Podemos conferir as potências regionais através do link no site da UGLE : Grandes Lojas Estrangeiras Reconhecidas pela Grande Loja Unida da Inglaterra

Neste post poderia falar muito sobre a maçonaria, na verdade daria até para manter um blog/site a respeito e quando disse reviver me refiria ao tempo de quando fui iniciado na Ordem Maçônica em 2003, na cidade de Campo Grande MS, pela Loja Simbólica Luz e Verdade nº14 do GOMS, pois como tive uma vida bastante ativa (11 anos) e dediquei-me intesamente aos estudos simbólicos e históricos da fraternidade, e a vontade de transpor o assunto para além dessas linhas é imenso; Mas, no momento, como estou “adormecido”, irei me conter em relatar somente o necessário – se é que é possível – sobre esse fabuloso e nobre Museu.

As instalações do Museu e Biblioteca podem ser visitadas em horário normal e gratuitamente. A visita tinha como objetivo fazer os registros fotográficos necessários ao blog, pois sabia que se me deixasse levar pela curiosidade e vontade acho que não sairia do prédio tão facilmente, é um enorme arsenal de informações com uma biblioteca “infinita” sobre aspectos e temas que fazem conexões com a ordem maçônica, desde suas origens na Inglaterra e evolução até a atualidade.

Freemasons’ Hall

O prédio é um clássico entre duas grandes colunas e muito bem preservado, neste edifício funcionam várias lojas, em dias e horários específicos; e, para quem não sabe, uma potência maçônica se faz com um conjunto de Lojas que contém os obreiros, assim chamados simbolicamente de maçons.

A visita pode ser dividida em 3 viagens. A primeira parte ao ascender o 2º andar logo na entrada temos um pequeno shop de suvenirs maçônico e, ao lado uma cafeteria, ao oposto um amplo salão, local de onde iniciamos em nossa 1ª viagem, onde encontramos os itens que contam, em boa parte, a história da maçonaria simbólica que vai do Grau 1 Aprendiz ao 3 de Mestre.

Nesse espaço, conservado em estantes protegidas por vidros, encontram-se diversas peças tradicionais, tais como típicos aventais e painéis simbólicos do grau, documentos históricos, como a primeira constituição, atas, ofícios, fotos e ilustações de Grãos Mestres, utensílios de uso em sessão, medalhas e antigos livros que abordam o “místico e secreto” mundo simbólico maçônico.

Painéis do Grau

Aventais do Real Arco | Graus Filosóficos

Como podemos ver – foto acima – há, nesse salão, um painel digital que apresenta explicações gerais sobre aspectos simbólicos e ritualísticos da ordem. Na tela uma representação do Grau 3.

Detalhes dos Itens do Museu que trata da ruptura entre as Potências Maçônicas da Inglaterra e França

Para constar a Maçonaria em 1877 sofreu uma ruptura entre a Grande Loja da Inglaterra e o Grande Oriente da França – Grande Oriente como é chamado a Potência Maçônica na França e países que adotaram as diretivas desta divisão. Se pesquisarem a respeito na internet, certamente irão encontrar muitas informações sobre esses acontecimentos da história maçônica.

Outra questão, relevante e curiosa, referente a mais uma cisão maçônica, foi o ingresso de mulheres na ordem, a maçonaria Inglesa, por sua vez, manteve-se somente com os homens, surgindo a co-maçonaria (maçonaria de mulheres), não reconhecida (ainda) pelos Ingleses. Ao contrário dos britânicos, os franceses a reconhecem, por questões de princípios de igualdade ou de política institucional. Fato é que a maçonaria, com isso, se modifica em sua forma e contexto ao abrir espaço para as mulheres. Uma das grande personagem desse processo na Inglaterra é uma londrina militante socialista, maçom, ativista e defensora dos direitos das mulheres Annie Bessant (destaque da foto acima) .

Salão Rito de York

Ao final desse salão podemos observar como é uma loja em sua forma simbólica e onde são feitas as reuniões. Esta sala/loja é desenhada para os trabalhos no Rito de York, o mais praticado na Inglaterra, mas que não é um Rito comum em lojas brasileiras; no Brasil, a título de informação, o Rito Escocês Antigo e Aceito (REAA) é o mais praticado.

De modo particular, sou adepto e entusiasta da maçonaria francesa, da qual fundei em 2007 junto com vários outros irmãos a Loja Universitária “Dos Livres Pensadores”, no Rito Moderno, da qual fui Venerável Mestre, época em que só tenho boas lembranças.

Ao finalisar este salão percorremos um corredor que nos levará a 2ª viagem, rumo a Biblioteca de onde estão depositados uma fascinante literatura de onde se gera o conhecimento e a cultura maçônica, nos remetendo ao siginificado do Grande Arquiteto do Universo.

Logo ao lado da Biblioteca seguindo um pouco adiante, caminhamos para nossa 3ª e última viagem, uma encantadora e riquíssima sala onde permanecem, cuidadosamente guardados, diversos itens da admirável joalheria e alfaias da Maçonaria Simbólica e Filosófica, esta última a que conduz o maçom ao 33º Grau.

Entrada do Salão onde contém a joalheria e alfaias

Carimbos

Neste salão, como já expliquei, há vários itens relacionados a maçonaria em especial são objetos de uso pessoal e de festividades das lojas, reuniões fraternas, como cristais, louças, carimbos, medalhões, potes decorativos, troféus, estandartes, placas de homenagem, etc etc etc … um imenso repertório e um conjunto de mobília muito bem cuidadas e altamente representativas para nós maçons.

Faixas do Real Arco
Colares Graus Filosóficos

Destaco nesse salão um espaço reservado aos elementos e artefatos que constituem cada etapa do Real Arco, conjunto de graus que vai do 4º ao 33º, um dos sistemas que compõem a Maçonaria Filosófica.

O museu com sua história, artefatos e místicas é incrivel. Pude reviver um pouco dos momentos que estive em atividade na Ordem Maçônica. Apesar de “adormecido”(por ora) nunca deixei de ser Maçom, é um aprendizado que nos conduz para a vida toda. Uma abraço a todos, obrigado espero que tenham gostado das viagens e até o próximos post … Valew Valew !!!! ou melhor, um 3×3 Fraterno Abraço.

Meu Pai – Arabutan Marinho – como Grande Secretário de Cultura Maçonica e Eu, recém eleito deputado pela Loja Solidariedade – GOMS | 2006

Localização da UGLE em Londres

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.