Museu Nacional #Tblissi, Geórgia

Museu Nacional da Geórgia
Cidade: Tblissi, Geórgia
Local: Região Central
Tema: História, Arquitetura e Sociedade
Site: http://museum.ge/
Para saber mais: Historia da Geórgia (wiki)
Google Maps: https://goo.gl/maps/MuseuGeorgia

⭐ Importância Histórica e Conteúdo ⭐ Arquitetura e Ambiente Interno ⭐ Sala de Exibição e Iluminação ⭐ Qualidade da Coleção dos Itens ⭐ Exibição e Exposição ⭐ Tecnologia e Interação ⭐ Descrição e Display (Georgiano + Russo + Inglês) ⭐ Fotografias e/ou Ilustração Explicativas ⭐ Recepção e Areas Públicas ⭐ Localização, Preço e Acesso

O Museu Nacional da Geórgia é epicentro da história, cultura e sociedade georgiana. Digo isso se realmente quisermos entender um pouco desse simpático e representativo país. A Geórgia é um país Europeu (oriental) cravado bem ao centro das montanhas do cáucaso, cadeia de montanha que limita os continentes europeu do asiático. Uma Região singular que mantém fortes laços com a cultura, através de milênios, e repleta de conflitos políticos.

O Museu Nacional atual é uma unificação de dez diferentes museus que se somaram em 2004 para formar o maior complexo de museu do país. O Museu Nacional da Geórgia apresenta coleções de arte internacionalmente significativas e exposições dinâmicas e mutáveis, proporcionando ao público inspiração e conhecimento do maravilhoso mundo da cultura, arte, ciência e educação. As evidências e as provas da mais antiga existência humana na Eurásia são exibidas juntamente com a magnífica arte cristã medieval, jóias de ouro e prata impressionantes, pinturas modernas e contemporâneas de artistas georgianos e obras de arte em geral.

Há diversas exposições permanentes e temporárias, entre essas as arqueológicas, etnográficas, arte e fotos.





Exposição “Arqueologia da Geórgia do 8º milênio a.C. até o século 4 dC“. Material arqueológico, revelado na Geórgia nos últimos 50 anos, é exposto pela primeira vez. Todas as exposições apresentam uma linha contínua de desenvolvimento da cultura georgiana desde a era neolítica até a época da antiguidade tardia.













A exposição “Traje e armamento georgiano dos séculos 18 a 20“. A exposição será um pouco semelhante à época dos séculos 18 a 20. As fantasias masculinas e femininas mostram a diversidade de roupas da Geórgia, diferentes materiais, cores, decoração e ornamentos. O armamento criado de acordo com técnicas da Geórgia-Caucasiano apresentará ao público sua ampla história e variedade.

A exposição também conta com uma coleção especial de armamento georgiano dos séculos 18 a 20, que demonstra mais de 150 exposições etnográficas produzidas de acordo com a tecnologia caucasiano-georgiana. Entre eles estão as espadas; punhais; armas; revólveres dos sistemas Colt, Lefaucheux, Smith & Wesson, Gasser e Nagant; Facadas finas e fistônicas e vários tipos de armas de ataque e defensivas, populares e usadas ativamente na Geórgia do século XIX.







A exposição “Idade da Pedra Geórgia“. Devido à sua localização geográfica, o sul do Cáucaso sempre foi um cruzamento de culturas. Os primeiros seres humanos ocuparam repetidamente essa área nos últimos 2 milhões de anos. Já existem mais de 500 sites paleolíticos.

A exposição exibe a Idade da Pedra da Geórgia (1,77 milhão – 8 mil anos), além de material antropológico descoberto em outras partes do mundo, apresentando o fluxo temporal da evolução humana. A parte introdutória da exposição apresenta os paleoambientes e a evolução da fauna terrestre do Mioceno tardio (8 a 5 milhões de anos), antes das evidências da dispersão dos primeiros homininos nos territórios do sul do Cáucaso.

Os primeiros restos humanos datados de 1.770.000 anos atrás foram descobertos em Dmanisi (Kvemo Kartli), sul do Cáucaso. Esses achados são os fósseis mais antigos de hominíneos (humanos primitivos) encontrados na Eurásia e representam a primeira localidade de dispersão humana fora da África. Os homininos de Dmanisi (humanos primitivos) carregam informações únicas sobre o Homo primitivo. Hoje existem 5 cranianos, 4 mandíbulas e mais de 70 ossos pós-cranianos (ossos abaixo da cabeça) encontrados em Dmanisi. Além disso, o site é muito rico em achados paleontológicos e ferramentas de pedra.

Existem muitos sites paleolíticos que datam de 500.000 a 8.000 anos atrás, no território da Geórgia, pertencentes a diferentes períodos. O material recuperado nesses sítios arqueológicos mostra todas as etapas do desenvolvimento da ferramenta de pedra e revela processos adaptativos humanos no ambiente, bem como mudanças na estrutura social. Esta exposição apresenta reconstruções realistas dos primeiros homininos e do paleoambiente de Dmanisi por paleoartistas de renome mundial.














O Museu Nacional da Geórgia também apresenta a exposição “Biodiversidade do Cáucaso” em salas de exposições renovadas. O Museu Nacional da Geórgia preserva as coleções geológicas, botânicas e zoológicas únicas e esplêndidas do Cáucaso. Entre eles estão espécies raras, ameaçadas e já extintas.

A compilação das coleções de história natural agora preservadas no Museu Nacional da Geórgia. Vale ressaltar que parte das exposições exibidas hoje foi apresentada na Exposição Internacional de Paris em 1867-1869 e muitas delas receberam medalhas de ouro, prata e bronze.

Em meados do século XIX, o cientista e naturalista alemão Gustav Radde fez contribuições significativas para o desenvolvimento da museologia na Geórgia. A variedade de animais empalhados, coletada sob sua égide, predicou a primeira exposição zoológica do Cáucaso (1928-1972). Desde então, o material armazenado em fundos estava sob a supervisão constante de especialistas em museus. Devido a objetivos educacionais, o museu organizava periodicamente exposições em pequena escala.

Hoje, na nova exposição criada usando modernas tecnologias de museus, os visitantes verão a biodiversidade da região do Cáucaso – coleções geológicas, botânicas e zoológicas. A exposição mostra minerais, rochas, fósseis de animais invertebrados, herbários, moluscos, insetos, peixes, anfíbios, répteis, pássaros e mamíferos – que refletem perfeitamente o desenvolvimento evolutivo da flora e fauna da região da Geórgia e do Cáucaso em geral. A coleção suporta espécies endêmicas, relictas e já extintas, uma vez amplamente disseminadas pelo Cáucaso.

É dada atenção especial aos dioramas de décadas, restaurados por especialistas do Museu Nacional que adotam abordagens modernas – tigre-turan e javali exibidos na floresta da planície de inundação de Kura; Fauna dos lagos e pantanais da Geórgia e variedade de mamíferos no panorama do rio Vere.

O projeto é o resultado de vários anos de intenso trabalho realizado em estreita colaboração com a National Geographic Magazine Georgia e o Georgian National Museum. A criação do primeiro Mapa Ilustrado da Biodiversidade do Cáucaso foi totalmente apoiada pelo projeto GIZ – Integrated Biodiversity Management, South Cáucaso. O evento está sendo implementado dentro do “Ano Europeu do Patrimônio Cultural 2018”.

tigre-turan e javali





Geologia


Não posso deixar de destacar a incrível exposição “Tesouros Medieval” mostra arte medieval pré-cristã e georgiana, que reflete a continuidade das tradições culturais que foram a base para a formação do estado georgiano e da identidade nacional.

Juntamente com as obras-primas das coleções do Museu Nacional da Geórgia, a exposição também apresenta manuscritos dos séculos 10 a 18, preservados no Centro Nacional de Manuscritos. Entre os objetos está o Alaverdi Four Gospels (1054), que é o único manuscrito georgiano que contém um Mandylion – uma impressão da face do salvador na mortalha. Feita de couro e metal, a capa é decorada com pedras preciosas e imagens de esmalte cloisonné de São Jorge. O manuscrito dos Quatro Evangelhos Vani, dos séculos XII e XIII, encomendado pela rainha Tamar, também é exibido. Este é um manuscrito festivo e ricamente iluminado, que se distingue pelo uso abundante de ornamentos, decorações e pedras preciosas.

Os visitantes terão a possibilidade de ver ícones únicos, bordados, objetos de pedra e madeira, metais e outros artefatos medievais. A exposição representa todo o contexto da originalidade da arte cristã georgiana e do desenvolvimento contínuo, tendo sua origem na arte pré-cristã.













Manuscrito dos Quatro Evangelhos



Por fim, para esse post, apresentamos “O Soviet Occupation Hall” (sala da ocupação soviética) está localizado no 4º andar. Aqui, os visitantes podem encontrar os arquivos pessoais do estado de figuras públicas georgianas “subversivas”, ordens para atirar ou exilar e outros artefatos que representam a repressão cultural e política da era soviética na Geórgia. A sala de exposições está equipada com monitores, onde os visitantes podem assistir a documentários de vários eventos históricos. A exposição também inclui uma das carruagens de trem em que foram executados os participantes do levante nacional de 1924. Também é dedicada à história do movimento anti-ocupacional de libertação nacional da Geórgia e às vítimas da repressão política soviética durante todo esse período.

A título de complemento e para o conhecimento do público em geral, Josef Stalin nasceu na cidade georgiana de Gori, a 18 de dezembro de 1878 e faleceu em Moscou, 5 de março de 1953, foi um revolucionário comunista e político soviético. Governou a União Soviética de meados da década de 1920 até sua morte em 1953, servindo como Secretário Geral do Partido Comunista da URSS de 1922 a 1952, e como primeiro-ministro de seu país de 1941 a 1953. Inicialmente presidindo um estado unipartidário oligárquico que governava pelo sistema de pluralidade, tornando-se de facto o ditador da União Soviética na década de 1930.
























Há muitas outras exposições ativas no museu e temas expetaculares para serem explorados pelo visitante. O Museu Nacional da Geórgia é, sem sombra de dúvida, parada obrigatória de Tblisi – Cultura e História ao Extremo. Valew Valew !!!

Museu Nacional #Rio de Janeiro, Brasil

Museu Nacional
Cidade: Rio de Janeiro, Brasil
Local: Paço de São Cristóvão, na Quinta da Boa Vista
Tema: História Natural, Antropologia, Arte e Cultura
Site: http://www.museunacional.ufrj.br/

Pela primeira vez em #MuseumsOnTheRoad não iremos apresentar um museu do qual visitamos pessoalmente. Recebemos um e-mail da Gabriela Nucci falando sobre conteúdos que falem da arquitetura e decoração do museu do Rio de Janeiro, para que as pessoas que não o conheceram tenha acesso à imagens e curiosidades sobre ele. Desta forma aproveitando a oportunidade de incluí-lo no hall dos museus em nosso blog, já que não poderemos, tão cedo ter a possibilidade de visita-lo, mas gostaríamos de ter um post sobre essa maravilhosa história de um Brasil que se perdeu. Um abraço, espero que gostem e valew valew !!!!
Continuar lendo “Museu Nacional #Rio de Janeiro, Brasil”

Museu Nacional #Nova Delhi, Índia

Museu Nacional de Nova Delhi
Cidade: Nova Delhi, Índia
Local: Connaught Place, próximo ao India Gate
Tema: História da Índia | Arte e Cultura
Site: http://www.nationalmuseumindia.gov.in
Google Maps: https://goo.gl/maps/MuseuNacional
Preço: Turista Estrangeiro
:: National Museun ₹ 650/-IND (7,5 €) || Inclui Audio Guide (Inglês)
Continuar lendo “Museu Nacional #Nova Delhi, Índia”